Vendeu seu veículo? Saiba o que fazer nessa hora

Dicas - Vendeu seu veículo? Saiba o que fazer nessa hora - Recorra Aqui Blog

Se você vendeu seu veículo saiba que a falta de transferência e da comunicação de venda junto ao DETRAN do seu estado podem ter consequências que você nem imagina.

Vamos te explicar neste texto o que pode acontecer se você não tomar os cuidados necessários quando o veículo é vendido.

Vendi meu veículo e agora?

Após a entrega do veículo ao comprador (isso mesmo – ENTREGA do veículo), ou seja, quando você não está mais na posse daquele veículo, algumas providências devem ser tomadas imediatamente antes que consequências mais severas recaiam sobre você.

Uma das consequências para quem não faz a comunicação de venda é continuar recebendo as notificações de infrações de trânsito (multas) cometidas pelo novo dono do veículo.

Além das multas, a consequência mais perigosa que o vendedor do veículo pode ter é ser responsabilizado no caso de um acidente de trânsito.

Imagine-se na seguinte situação: o comprador do seu carro se envolve em um acidente de trânsito com vítima e foge. Uma das testemunhas anota a placa do veículo que ainda está em seu nome.


Analisando o caso acima, uma notificação de multa por não prestar socorro vai chegar na sua residência (artigo 176 do CTB), lembrando que essa multa é no valor de R$ 1.467,35, gera automaticamente a suspensão da CNH, além de que, possivelmente você responderá a um  processo criminal e cível.

Assim, a comunicação de venda isenta o vendedor de qualquer responsabilidade civil ou criminal sobre ocorrências que possam acontecer com o veículo (acidentes, infrações de trânsito etc.).

E se eu não fizer a comunicação de venda?

Caso a comunicação de venda seja feita após o prazo de 30 dias, o vendedor é considerado responsável solidário, ou seja, em conjunto com o comprador, pelas penalidades impostas e as reincidências, desde a data da venda até a data da comunicação, vejamos o que diz a lei:

Artigo 134 do CTB: No caso de transferência de propriedade, o proprietário antigo deverá encaminhar ao órgão executivo de trânsito do Estado dentro de um prazo de trinta dias, cópia autenticada do comprovante de transferência de propriedade, devidamente assinado e datado, sob pena de ter que se responsabilizar solidariamente pelas penalidades impostas e suas reincidências até a data da comunicação.

Parágrafo único. O comprovante de transferência de propriedade de que trata o caput poderá ser substituído por documento eletrônico, na forma regulamentada pelo Contran.

A observância ao artigo 134 é de suma importância aos que vendem seu veículo automotor, pois é muito comum a falta de transferência junto ao órgão de trânsito, por parte do comprador (o que deve ocorrer em até 30 dias, de acordo com o artigo 123 do CTB) e, neste caso, enquanto não houver a devida comunicação ao órgão de trânsito, a responsabilidade pelo veículo continua sendo do proprietário antigo, principalmente quanto à pontuação decorrente do cometimento de infrações de trânsito, podendo chegar à instauração de processo administrativo de suspensão do direito de dirigir, por infrações cometidas pelo proprietário atual, que não foi identificado como sendo o autor das condutas infracionais.
Por isso, você que vendeu um veículo nos últimos tempos, não deixe de adotar as medidas que foram trazidas neste artigo! Além do mais, qualquer multa que não tenha sido você que cometeu recorra, exerça seu direito de recorrer e para isso conte com o Recorra Aqui, entre em contato clicando aqui.
Compartilhe

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.